O MFP

O que é o MFP
“As mulheres levam sobre seus ombros a metade do céu e devem conquistá-lo.”
Presidente Mao Tsetung

O MFP, Movimento Feminino Popular é um movimento organizado de mulheres do povo voltado à mobilizar, politizar e organizar as mulheres trabalhadoras, estimulando-as e impulsionando-as à participação na luta de classes pela transformação completa da atual sociedade de exploração e opressão. O MFP levanta alto a bandeira da emancipação da mulher entendendo que somente com a emancipação de toda a classe trabalhadora que ela poderá se realizar plenamente. Por isto mesmo sustenta que é imprescindível que as mulheres tomem parte ativa das fileiras e direção da luta revolucionária da classe operária e massas populares para que esta triunfe. O MFP combate todas as formas de discriminação, opressão e violência que milenarmente se abate sobre a mulher sobre o que especialmente ressalta a defesa do direito de igualdade, bem como a defesa intransigente do direito da mulher sobre seu corpo e reprodução.

Como e quando surgiu o MFP

O MFP surgiu como resultado da luta no País contra o nacional-reformismo e o revisionismo predominante no movimento popular e que de forma particular degenerava o movimento feminino em mero instrumento do oportunismo, do feminismo burguês e do sexismo.
Em 1995, na cidade de Belo Horizonte, cinquenta mulheres entre operárias, donas de casa, estudantes e professoras, tomaram de assalto o Congresso da Federação Mineira de Mulheres. Tomando a direção do evento lançaram um manifesto conclamando as mulheres a romperem radical e integralmente com a política oportunista de colaboração de classes e com o feminismo burguês e a construírem um novo e revolucionário movimento de mulheres do povo. Erguendo os punhos cerrados e com as consignas de “Viva a Luta da Mulher Proletária! A libertação da mulher só será conquistada com a libertação de todo o povo” aquelas cinqüenta mulheres deram início à luta pela construção do Movimento Feminino Popular. Após cinco anos de intensa luta o MFP consolidou suas bases teóricas num importante encontro em janeiro de 2000. Nestes 13 anos, nossa organização é marcada pela luta combativa e revolucionária em todo o país.

Como se organiza do MFP

Para impulsionar a participação da mulher na luta pela transformação desta sociedade há que ter uma organização específica que mobilize toda a fúria acumulada por milênios de opressão. Nestes 13 anos a organização do Movimento Feminino Popular tem levado mulheres de vários movimentos e organizações a se tornarem lideranças na luta revolucionária contra o latifúndio, o capitalismo burocrático e o imperialismo.

“Despertar a fúria milenar da mulher”
Presidente Gonzalo

Viva o Movimento Feminino Popular!

Anúncios

2 pensamentos sobre “O MFP

  1. MULHERES,
    Em toda a história humana, naqueles momentos decisivos, a mulher fez a diferença. Foi assim, no Calvário, quando um apóstolo havia traído, outro negado e o restante se escafedido que tres Marias permaneceram. Foi assim, quando a Argentina gemia como se a fantasia bíblica do “Juízo Final” se concretizasse que surgiu uma mulher .

    • Prezadas companheiras, fiz uma poesia após algum tempo observando como trabalhavam minhas colegas de trabalho, diferente dos homens, seu expediente não findava, ainda tinham a casa para limpar, preparar comida e cuidar das crianças… Enfim, espero que gostem fiz pensando em uma classe inteira:

      OPERÁRIA

      A vida é tão dura para quem faz
      O valor que tem uma cabeça
      Representa apenas salário
      Essa é a vida de um operário

      O vai e vem das pessoas
      Todos os relógios conspiram
      Todo mundo desesperado
      Tudo mundo atrasado

      O relógio não perdoa
      O apito não atrasa
      O cartão não sente
      O bate-ponto não mente

      Ar tóxico e céu de lata
      Humanos escravos de máquinas
      Em meio a ritmo louco da produção
      Uma flor em meio ao aço me chamou a atenção

      Passava despercebida em meio ao ferro
      No começo foi apenas uma
      Depois apareceram assim
      Tantas flores, parecia um jardim

      Eu me enganei
      Não tinha como ser jardim
      Foi ilusão
      Ali rolava apenas exploração

      Mesmo assim, tantas flores
      Tantas máquinas
      Tantas mulheres
      Tantos afazeres

      Por que teriam que ser inferiores?
      Trabalhavam feito homem
      Vendiam sua força de trabalho igual homem
      Dúvidas que não somem

      Séculos de ferro e flor
      Séculos de muita dor
      Meninas enfrentando a longa carga horária
      Todas são uma, CLASSE OPERÁRIA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s